local 1

Desconfie de (algumas) promessas de rejuvenescimento íntimo

Por CABN em 11/07/2021 às 07:17:17
Remodela√ß√£o vaginal é indicada para mulheres que sofrem com sintomas da menopausa Embelezamento íntimo, corre√ß√£o estética genital, cirurgia estética ginecológica, rejuvenescimento íntimo. S√£o v√°rios os nomes utilizados para procedimentos que prometem uma genit√°lia mais jovem e, a reboque, uma vida sexual prazerosa. A quest√£o é que, enquanto h√° interven√ß√Ķes que s√£o indicadas para problemas que ocorrem a partir da perimenopausa, isto é, nos anos que antecedem o fim da menstrua√ß√£o, outras podem ser consideradas simplesmente propaganda enganosa, como alerta a Febrasgo (Federa√ß√£o Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia).

Para esclarecer o assunto, conversei com a médica Neila Maria de Góis Speck, professora adjunta da Unifesp (Universidade Federal de S√£o Paulo) e presidente da comiss√£o de trato genital inferior da Febrasgo, que detalhou a condi√ß√£o para a qual h√° uma indica√ß√£o precisa de interven√ß√£o: “isso ocorre quando a mulher sofre de síndrome geniturin√°ria, que abrange a atrofia vaginal, com sintomas como secura, coceira, desconforto ou dor durante o sexo, e também problemas urin√°rios, como ardência e/ou urgência para urinar, leve incontinência urin√°ria ou noctúria, que é a necessidade de fazer xixi v√°rias vezes durante a noite”.

A médica Neila Maria de Góis Speck, professora adjunta da Unifesp e presidente da comiss√£o de trato genital inferior da Febrasgo

Acervo pessoal

Nesses casos, o rejuvenescimento íntimo, que a médica prefere chamar de remodela√ß√£o, pode melhorar bastante a qualidade de vida da mulher. O procedimento é feito com laser fracionado, onde uma espécie de sonda, ou probe, é introduzida na vagina e pontos de laser s√£o aplicados sobre a mucosa. Eles promovem a renova√ß√£o do col√°geno, aumentam a vasculariza√ß√£o e a lubrifica√ß√£o. As aplica√ß√Ķes s√£o feitas em três sess√Ķes, uma a cada 30 dias, e o efeito dura, em média, de 12 a 18 meses. Para a manuten√ß√£o, é necess√°ria uma sess√£o extra. “A aplica√ß√£o pode incluir a vulva, que é a parte externa do aparelho reprodutor feminino, e cujo tecido também afina com a idade. Muitas mulheres sofrem fissuras da pele da vulva durante o sexo e o laser melhora sua textura. O princípio é o de energizar o col√°geno, que vai tornar a pele mais firme”, explica, acrescentando que, para pacientes que se submeteram a tratamentos oncológicos e tiveram uma menopausa precoce, o recurso pode significar a retomada de uma vida sexual satisfatória.

O laser j√° era utilizado h√° décadas na Europa em les√Ķes pré-malignas e a própria doutora Neila Speck, uma referência em patologias do trato genital inferior, especializou-se nessa técnica em San Marino, microna√ß√£o encravada na It√°lia. Além do laser, s√£o utilizados o ultrassom microfocado e a radiofrequência – ainda h√° poucos estudos comparativos que estabele√ßam qual é o mais eficiente. Uma quest√£o sensível diz respeito ao profissional que deveria conduzir esse tratamento que, hoje em dia, é realizado em larga escala por dermatologistas. “Médicos de outras especialidades podem n√£o reconhecer afec√ß√Ķes na regi√£o genital. Na It√°lia, somente ginecologistas podem adquirir as ponteiras do laser para esse tipo de procedimento”, afirma a professora.

Agora que j√° falamos das indica√ß√Ķes precisas, vamos aos modismos que, além de n√£o terem comprova√ß√£o científica, podem até causar danos à saúde da mulher. Como eu disse no come√ßo da coluna, a remodela√ß√£o vaginal é aconselhada quando h√° sintomas que surgem na fase que antecede a menopausa, e n√£o para pacientes jovens. “Recomendar o procedimento de forma preventiva para mulheres de 30, 35 anos, alegando que o processo de perda de col√°geno j√° est√° em curso, é uma fal√°cia”, critica a doutora, com veemência.

H√° um leque de interven√ß√Ķes que, na sua opini√£o, s√£o eticamente question√°veis, como o clareamento da vulva e o preenchimento dos pequenos e grandes l√°bios com subst√Ęncias como √°cido hialurônico. No processo do climatério, os pequenos l√°bios podem sofrer uma certa atrofia e, os grandes, perdem gordura, mas essas altera√ß√Ķes n√£o afetam a qualidade do sexo. Por último, entre os servi√ßos de estética íntima oferecidos, h√° o da ninfoplastia, que é a redu√ß√£o dos pequenos l√°bios, com a “justificativa” de que a cirurgia torna a aparência da vulva mais jovem, atraente e desej√°vel – e o principal alvo acaba sendo quem est√° com a autoestima em baixa. “H√° uma grande diversidade de vulvas e nenhuma mulher deveria se sentir pressionada a buscar um discutível padr√£o de beleza para sua genit√°lia. Além disso, h√° uma indica√ß√£o específica para a cirurgia dos pequenos l√°bios, quando eles apresentam uma hipertrofia e causam desconforto. Estamos assistindo a um excesso de modismos e um deles é o de mulheres querendo uma vulva de Barbie, quase infantil”, lamenta a médica.

Fonte: G1

Comunicar erro
local 2

Coment√°rios

local 3