local 1

Debatedores defendem prorrogação de incentivos fiscais paraa indústria de semicondutores

Por CABN em 04/10/2021 às 23:04:03
Lippi é autor de proposta que estende benefícios até 2029

Moreira, por sua vez, convocou os empresários a participarem efetivamente da construção de uma política nacional de apoio à indústria de semicondutores no Brasil. "Precisamos de uma politica industrial que tenha relação completa com o País, que possa começar na lavoura, mas que passe pela pela indústria e que chegue aos serviços e comercio e ao poder público”, disse.

Prorrogação do Padis
Lippi e Moreira anunciaram ainda que vão utilizar o documento que deverá ser elaborado por pesquisadores e especialistas ouvidos na audiência pública para convencer o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), a colocar em votação o Projeto de Lei 3042/21, proposto por Lippi, que estende a vigência dos benefícios do Padis até 2029, coincidindo com os benefícios previstos na Lei de Informática.

Eles manifestaram ainda a intenção de criar duas subcomissões: uma para debater a produção estratégica de semicondutores no Brasil e outra para pensar em estratégias para a formação de capital humano voltado à alta tecnologia.

Representando o governo no debate, o secretário de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Paulo Alvim, concordou com a necessidade urgente de prorrogar e ampliar o Padis. “Nós importamos US$ 5 bilhões em semicondutores. É fundamental, para que a gente tenha soberania tecnologia, que a gente robusteça programas como esse”, disse.

Ao longo dos últimos 15 anos, o governo brasileiro destinou diretamente para o segmento cerca de US$ 400 milhões, o que inclui a construção do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) e programas como o CI Brasil e o Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec), entre outros.

Pesquisador do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), André de Carvalho disse que o País precisa ter visão de longo prazo. “A gente precisa muito da participação do Estado. A nova fronteira da politica industrial precisa de uma visão de longo prazo. Ainda que seja indiscutível ampliar e prorrogar o Padis, precisamos ter claro o que se quer com essa indústria. Existem várias sinergias possíveis com diversas áreas, como medicina, militar, entre outras”, disse.

Privatização do Ceitec
O presidente da Associação dos Colaboradores do Ceitec , Silvio Santos Junior, aproveitou a oportunidade para pedir aos deputados que anulem o decreto federal de dezembro de 2020 que autorizou a privatização da estatal. "Entendemos que é completamente inaceitável a liquidação da empresa. Podemos contribuir pois temos profissionais altamente capacitados e infraestrutura no parque tecnológico do Ceitec”, disse.

Abílio de Andrade Neto, oficial da reserva da Marinha e responsável pela privatização do Ceitec, destacou que, no momento, o processo de venda da companhia está suspenso por determinação do Tribunal de Contas da União. "As atividades foram encerradas, mas a manutenção da fábrica está sendo mantida”, disse.

Fonte: Agência Câmara

Comunicar erro
local 2

Comentários

local 3