local 1

Trabalhadores do Sergipe que dizem ter sido enganados com falsa oferta de emprego no Paraná fecham acordo com empresa

Por Cabn em 20/10/2021 às 01:25:29
De 29 trabalhadores que receberam a proposta de emprego, 17 resolveram retornar para o estado natal. Empresa ofereceu indenização de R$ 3,9 a cada operário ou contrato de trabalho por três meses. Trabalhadores de Sergipe assinam acordo com construtora

Os trabalhadores do Sergipe que chegaram a Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, por meio de uma falsa oferta de emprego e estavam morando em um alojamento em condições precárias fecharam acordo para serem indenizados ou contratados para trabalhar, nesta terça-feira (19).

A oferta da Lyx Engenharia foi de um contrato de trabalho de no mínimo três meses para os trabalhadores que quisessem ficar no Paraná ou uma indenização de R$ 3,9 mil para aqueles que preferissem voltar para o Sergipe.

17 trabalhadores resolveram voltar para casa. Outros três já tinham retornado e também vão receber o valor. Nove operários decidiram ficar no Paraná para trabalhar.

A empresa também se comprometeu a retirar os trabalhadores do alojamento onde eles estão, pagar hospedagem a eles em um hotel e alimentação.

Trabalhadores estão em um alojamento com 16 colchões para 29 pessoas, em Araucária

Reprodução/RPC

Investigação

Apesar do acordo, um inquérito foi aberto para investigar a suspeita de aliciamento pela Lyx Engenharia.

Os trabalhadores foram trazidos do Sergipe por uma construtora do Mato Grosso do Sul. Os operários saíram do Sergipe no dia 27 de setembro e chegaram ao Paraná em 1º de outubro.

Cada um pagou R$ 400 pela passagem do ônibus. Depois de 2.800 quilômetros, o transporte deles foi na caçamba de uma caminhonete.

Ao chegarem ao invés de irem para um alojamento, ficaram em uma casa pequena, sem colchões para todos. E sem a oferta de emprego.

De acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Lyx Engenharia é investigada por oito casos de aliciamento de trabalhadores em 2021.

Em vez de irem para um alojamento, ficaram em uma casa pequena, sem colchões para todos

Reprodução/RPC

"Se você subcontrata mal, você é responsável. E a Lyx subcontrata mal. São oito situações documentadas apenas neste ano. Isso não pode continuar assim", afirmou a procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT), Cristiane Lopes.

Em 2019, a empresa foi multada em R$ 1 milhão por manter trabalhadores do Maranhão em situação análoga à escravidão.

Na época, a empresa fez um acordo com o Ministério Público para encerrar a ação.

Trabalhadores aceitaram acordo proposto pela empresa

Reprodução/RPC

O que diz a empresa

Em nota, a Lyx Engenharia informou que se solidarizou com a situação dos profissionais.

A incorporadora disse que é "uma empresa paranaense, com quase 15 anos de existência, que gera mais de 3 mil empregos diretos e indiretos. Paga mais R$ 1 milhão por mês em impostos. Também promove melhorias nas cidades onde constrói seus empreendimentos".

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR

Veja mais notícias da região em g1 Paraná.

Fonte: G1

Comunicar erro
local 2

Comentários

local 3